História

Atuando em Contagem/MG desde 1974, originalmente com a razão social de Eluma Autopeças, transformou-se na Divisão de Componentes Automotivos da Iochpe-Maxion quando foi adquirida pelo Grupo em 1994, contando com todo apoio tecnológico e administrativo de sua controladora. Em parceria com o Banco Bradesco, a Brosol Participações S/A foi incorporada em 1996, dando origem a Tecmisa Componentes Automotivos.

Nesta época, o Grupo Iochpe-Maxion acrescentou uma nova planta ao seu parque industrial em Contagem, ampliando seus negócios e conquistando novos clientes, alcançando a liderança de mercado com vários de seus produtos. Desde julho de 1999, a razão social era conhecida como Maxion Componentes Automotivos S/A e a partir de agosto de 2004, devido à reestruturação do Grupo, sua razão passou a denominar de Maxion Sistemas Automotivos S/A – Divisão de Componentes Automotivos.

Em 2002 ocorreu a incorporação das operações da Batz do Brasil, uma Empresa do Grupo Mondragon especializada em construção e operação de ferramentais de grande porte e projeto de sistemas de pedais e freio de estacionamento com a qual foi feita contrato de tecnologia. A partir da incorporação, a Maxion tornou-se fornecedora exclusiva de pedaleiras e freios de estacionamento de todos  os projetos GM correntes, assim como já era em percentual elevado para a Fiat.

Em 2004, houve a alienação das operações de máquinas de acionamento de vidros elétricas e manuais, com as quais abastecia-se as plantas Ford Camaçari, VW Taubaté, Fiat Betim, VW Anchieta, GM São Caetano do Sul e São José dos Campos. Operação vendida à Brose do Brasil que se instalou em Curitiba com isso iniciava-se um novo alinhamento no core de produtos da empresa.

A partir de 2005, direcionou-se e implementou-se o business metálico com sequência de desenvolvimentos voltados à transformação de aços estruturais e fechamento de conjuntos soldados de alta e média representatividade no body dos projetos e a utilização direcionada de processos automatizados em estampados e soldados.

Assim, foi necessária expansão gradativa no período 2009-2012, quando houve aumento substancial da área fabril dedicada à instalação de prensas de grandes dimensões e com capacidades entre 400 e 1000 ton.,  máquinas automáticas para soldagens de fixadores, estampados de pequeno porte e células de soldas robotizadas para fabricação de conjuntos como Coluna A, Coluna B, Cross Car Beam, Reforço do Parachoque.